O futuro da economia e a situação dos negócios e finanças pessoais, após a pandemia do Coronavírus, tem deixado muitas pessoas confusas sobre a tomada de decisão sobre tomar ou não dinheiro emprestado nesse momento. Algumas instituições financeiras já estão começando a oferecer fontes para captação de recursos, com promessas de juros menores e prazos maiores.

Contudo, diante de tantas ofertas tentadoras torna-se necessário saber avaliar o quanto será necessário de tomada de recursos, bem como qual a linha de crédito ideal para essa necessidade. Confira a seguir algumas das principais opções disponíveis no mercado.

 

Antes de tudo, conheça a situação atual do seu negócio

Avalie os impactos que a pandemia trouxe para o seu negócio. Diante disso, faça um levantamento do quanto precisa para reverter o quadro e como esse dinheiro será investido, como por exemplo repor o capital de giro, comprar equipamento, repor equipamento, desenvolver produto ou serviço novo, pagar a folha salarial, duplicatas e faturas atrasadas e etc.

Calcule o possível fluxo de caixa para o período e o valor líquido. Faça o encontro de contas e chegue a um valor a ser discutido com a instituição financeira escolhida para a negociação.

 

Crédito para Capital de Giro, equilibrando o caixa

Quando se calcula “Contas a receber + Estoque – (Contas a pagar + Impostos + Demais Despesas)” chegamos ao valor de Capital de Giro. Ele é o recomendado para manter o caixa equilibrado, garantindo a saúde financeira do negócio.

Calcular o capital de giro lhe dá uma previsão de um valor que pode ser conseguido facilmente nos bancos. Por se tratar de uma modalidade simples de crédito, basta apresentar o CNPJ, RG e CPF dos sócios (se tiver), o contrato social da empresa e um balanço e demonstrativo de resultado dos últimos anos, esse último pode ser feito com a ajuda do seu contador.

Porém, apesar de simples e rápido, o crédito para capital de giro costuma ter taxas de juros altas e precisam ser avaliadas com cautela antes da contratação.

As taxas de juros para capital de giro podem ser pré-fixado ou pós-fixado. Nas taxas de juros pré-fixados você sabe exatamente os valores até o fim do contrato. Já as taxas de juros pós-fixados levam em conta índices de inflação e juros de curto prazo, como por exemplo TR, IPCA, IGP-M, entre outras. O que essas taxas têm em comum é que todas podem variar de acordo com a economia do país.

A média de juros pré-fixado ao mês variam de 1,99% a 3,20% para empréstimos com prazo até 365 dias. E 1,39% a 2,24% com prazo superior a 365 dias.

Já as taxas de juros pós-fixados variam de 1,31% a 1,49% para prazos até 365 dias; e 1,17% a 1,44% para maior que 365 dias.

- Confira a lista completa de taxas de juros no Banco Central do Brasil

 

 

Antecipar os recebíveis

Muitos estabelecimentos utilizam desse recurso para adiantar um dinheiro que só receberia mais pra frente. Um exemplo comum dessa modalidade é a antecipação de uma venda feita parcelada no cartão, onde é possível receber a venda antes do tempo e com um valor adicional de custo sobre essa operação.

Além disso existem as antecipações de cheques, carnês e duplicatas. A grande questão nas antecipações são os juros que costumam ser altos, o que compromete bastante o valor que receberia no futuro.

- Veja lista com as taxas de todos os bancos referente a cartão de crédito

- Veja lista com as taxas de todos os bancos referente a duplicatas

- Veja lista com as taxas de todos os bancos referente a cheques

 

Crédito Consignado, o ideal para pessoas físicas

Quando se trata de empréstimo para pessoa física, o mais comum é o crédito consignado. Para essa modalidade é preciso ser aposentado pelo INSS, ter carteira assinada ou ser funcionário público.

Sua funcionalidade é bastante simples: é solicitado um valor de empréstimo, esse valor é creditado pela instituição financeira e as parcelas são debitadas no salário ou no pagamento da aposentadoria. Por já ter uma garantia de pagamento, o consignado é fácil de ser solicitado e tem taxas de juros menores.

- Veja lista de taxas para consignado de funcionário privado.

- Veja lista de taxas para consignado de funcionário público.

- Veja lista de taxas para consignado de aposentados pelo INSS

 

Medida Provisória 944 - Programa Emergencial de Suporte a Empresas

Visando regulamentar a concessão de empréstimos aos empregadores para viabilizar a quitação da folha de pagamento de seus empregados, o governo federal publicou em 3 de abril a Medida Provisória nº 944/20, que lança o Programa Emergencial de Suporte a Empregos.

Por dois meses, será concedido aos empregadores crédito para contemplar a totalidade de sua folha de pagamento, limitado ao valor equivalente a até duas vezes o salário-mínimo por empregado.

Estão aptas a participar da MP 944 empresas com receita bruta anual superior a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) e igual ou inferior a R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais), no exercício de 2019. São 36 meses para pagamento e juros de 3,75 % ao ano sobre o valor.

Para terem acesso às linhas de crédito do Programa Emergencial as pessoas jurídicas deverão ter a sua folha de pagamento processada por instituição financeira participante, como bancos por exemplo.

 

 

Outras Medidas Emergenciais de Auxílio Financeiro

Será bastante comum a disponibilidade de recursos pontuais durante a pandemia do Coronavírus, sob condições específicas e limitadas somente ao período crítico. Uns exemplos sãos as medidas tomadas pelo Banco do Nordeste - BNB:

I - Disponibilização de novos recursos financeiros para empresários com taxa reduzidas a 0,35% ao mês.

II – Repactuação (prorrogação) das parcelas de empréstimos/financiamentos por 6 meses.

III – Disponibilização de recursos financeiros a Micro e Pequenas Empresas com juros de 2,5% ao ano, carência máxima até 31 de dezembro e parcelamento em 24 meses.

 

Já o Banco do Brasil criou também a sua linha de crédito especial, com a primeira parcela daqui seis meses e juros reduzidos, variando entre 2,5% e 3,5% ao ano. Além de ser possível parcelar em até 96 vezes, e não há nenhuma consulta ao SPC ou Serasa. Demais instituições financeiras no país estão lançando os seus programas emergenciais, cada qual com suas condições e diferenciais.

 

Agora que você tem uma série de opções acima, avalie a real necessidade de tomada de empréstimo para o seu negócio. O próximo passo é entrar em contato com mais de uma instituição financeira e avaliar todas as possibilidades de empréstimo nela e comparar também com outras instituições. Ao fazer a melhor escolha, não deixe de compartilhar com outros empreendedores os seus aprendizados e ajudar a manter outros negócios de pé e em funcionamento, para o bem da economia geral.

 

Que tal, gostou deste artigo? Continue a acompanhar dicas como essa em nosso blog ou mídias sociais:

 

BLOG - http://www.zeusautomacao.com.br/blog

INSTAGRAM – https://www.instagram.com/zeusautomacao/

FACEBOOK - https://pt-br.facebook.com/zautomacao/

Publicado em: 16/04/2020 às 07h48
Por: Itweb


; ;